Surface, deep e dark web: o que são cada uma e quais as diferenças?

Certamente você já teve ter visto que os icebergs são bem maiores do que aparentam. E que 80% deles está embaixo d’água. Com a internet é bastante parecido. Ainda que pensamos que nosso acesso a ela é enorme – e é – existe muito mais, que não é acessado. Nos últimos anos, os conceitos de surface, deep e dark web ganharam peso na internet. Mas ainda existe muito boato e achismo acerca do assunto.

Neste artigo, explicaremos o que são cada uma destas “etapas”, e a diferença entre surface, deep e dark web.

Desconstruindo o mito entre surface, deep e dark web

Antes de avançarmos no conteúdo, é preciso entender o que são, separadamente, surface, deep e dark web.

Superfície

Esta é a parte da internet mais conhecida. É por onde acessamos a maior parte das informações.

Navegadores como Google Chrome, Microsoft Edge e Mozilla Firefox são usados justamente para ela.

A quantidade de sites na surface ultrapassa a casa dos bilhões. Para que estes sejam acessados, precisam estar indexados. O que isto quer dizer? Que possuem um domínio com DNS registrado. É este registro quem faz a tradução do IP do site para o usuário.

Bilhões de sites! Pode parecer uma quantia enorme. Porém, a surface não representa mais do que 4% da internet, de fato.

Facebook, portais de notícias famosos, como o G1, e até mesmo o nosso site faz parte da superfície.

Abaixo da superfície

Aqui surgem os mitos sobre a deep web.

Existem diversos tipos de informações na deep web, porém, ela ficou conhecida como um antro de criminalidade e pornografia.

Existem estas informações? Sim. Mas a gente precisa entender como a deep web funciona.

De maneira básica, a deep web é o local onde ficam os sites não indexados por um DNS. Por isto navegadores comuns não conseguem embarcar na deep web.

Tor, I2P e FreeNet são os mais comuns, nesta ocasião. Podem ser considerados mais seguros, também, uma vez que mascaram o IP do usuário.

Os domínios dos sites (que terminam com .tor) também são independentes na rede. Isto quer dizer que eles não fazem do ICANN, órgão responsável por apontar de qual domínio é cada DNS.

De maneira geral, é uma rede segura para o usuário. Seu IP se torna mais difícil de ser encontrado, o que torna o hackeamento mais trabalhoso. Porém, isto não livra a rede de estar infestada de conteúdos ruins. Para o internauta de primeira viagem, é bom tomar um certo cuidado com o que acessa.

O Wikileaks, de Julian Assange, é um exemplo de site na deep web.

Profundezas

Neste ponto, já estamos na dark web.

Enquanto a surface é aquilo que acessamos, e que pode ser pesquisado no Google, a deep web é uma “camada” abaixo. O local onde estão os sites que o Google não encontra, por exemplo. Com a dark web, não.

Ela é uma região, extremamente protegida e muito mais criptografada. Nela, a quantidade de informações é muito mais segmentada – tanto para dados bons quanto ruins.

É nela, também, que muitos boatos surgem. E que acabam sendo atribuídos a deep web. Claro, conteúdos ruins, como tráfico humano e terrorismo são encontrados “abaixo da superfície”. Porém, são muito mais recorrentes – e em maior quantidade – na dark web.

E, se a camada superior já possui uma segurança avançada, aqui, mais ainda. Os domínios são uma mistura de números e letras sem o menor sentido. O embaralhamento de IP é ainda mais intenso.

Diferenças entre surface, deep e dark web

  • Até aqui, algumas coisas sobre estas três “camadas”, por assim dizer, já foram ditas. Porém, algumas dúvidas ainda podem atrapalhar a diferenciação. Então, vamos aos tópicos:
  • Surface: a internet que a maioria das pessoas acessa. É nela onde o Google, por exemplo, busca seus resultados;
  • Deep web: local onde os sites não indexados residem. Só pode ser acessada por navegadores específicos.
  • Dark web: onde estão os conteúdos mais secretos, sigilosos e perigosos. Também acessada através de determinados navegadores. Porém, com maior restrição de segurança.

A internet pode ser usada de várias maneiras. Obter conhecimento se relacionar com alguém, fazer amizades, trabalhar. Independentemente se for na surface, deep ou dark web, o que mudará é a intenção. Tomar cuidado com algumas coisas pode ser bom, principalmente com o conteúdo que consome.



Deixe uma resposta